Olá Visitante
Login | Cadastre-se

Festas de Comunidade / Religiosas ( Sagras )

Uma das tradições mais vivas da Colonização Italiana é a comemoração da Festa do Padroeiro de cada

capela do interior. Assim, a cada domingo há festa em alguma localidade que começa com a parte religiosa

de manhã com missa festiva e após o famoso almoço colonial regado ao bom vinho da região.

Desde os tempos mais antigos, um dos momentos mais solenes das vivências cotidianas era a missa e a

procissão em homenagem aos santos padroeiros das comunidades que se formavam, a sagra das capelas,

como chamavam. Além de um ritual religioso de suma importância, era o passatempo mais esperado pelos

jovens, ocasião em que se encontravam com pessoas de outros lugares, faziam novas amizades, iniciavam

namoros.

Cada comunidade fazia a sagra aos seus padroeiros exatamente no dia em sua homenagem, indiferente do

dia da semana que ocorresse. Nos primeiros tempos, após o ritual, as famílias costumavam oferecer um

almoço, geralmente na casa dos “nonos”. Além dos parentes, convidavam amigos de outras comunidades

que se faziam presentes. Era um dia único, um dia de festa, um dia santo, ninguém trabalhava. Faziam

apenas os afazeres que não podiam ser deixados de lado, como tirar leite das vacas.

Entretanto, as famílias cresceram, aumentando a sociedade local e, por isso, com o passar dos anos,

começaram a ser construídos pequenos salõezinhos comunitários no entorno das igrejas. E lá passaram a

assar churrasco, que era adquirido pelos presentes e saboreado em casa, juntamente com pão, salada,

vinho e “gasosa”, uma espécie de suco gaseificado. Não raro, sentavam-se embaixo de árvores e lá

passavam uma tarde inteira juntos, rindo e contando histórias. Passado o dia da sagra, o salãozinho era

usado para reuniões ou até mesmo para encontro dos homens aos domingos, onde jogavam baralho,

“mora”, conversavam.

Assim, a motivação espiritual e emotiva fez com que as sagras fossem tomando proporções cada vez

maiores, propiciando a construção de salões mais espaçosos. Com novas e amplas estruturas, após os

rituais de costume, foi incorporado um almoço comunitário e festivo. Além do churrasco, que já era

costume assar, passaram a oferecer sopa de “agnolini”, salada verde, “pien”, maionese, pão de forno, vinho,

servidos à vontade, em grandes e fartas mesas pelos membros da comunidade que eram responsáveis pelos

alimentos, limpeza, organização e atendimento daqueles que ficavam para o almoço.

Tenha sido pela escassez de outras atividades de lazer, especialmente na colônia, ou pelo imenso prazer e

necessidade do convívio social, as festas comunitárias tornaram-se os principais eventos de cada capela.

Ainda hoje reúnem centenas de pessoas todo final de semana, em uma, duas ou mais comunidades. São

um dos grandes atrativos culturais da farta gastronomia local, da alegria, dos encontros e do bem viver em

sociedade.

GASTRONOMIA TÍPICA

A base da alimentação são as massas (tortéi, agnolini etc) que são acompanhadas de outros tipos de

alimentos como carne de aves, churrasco, carne de panela, polenta e vinho.

MENAROSTO

Menarosto é um processo que consiste em assar carnes sem ter contato direto com as chamas e fumaça

(somente brasas), para isso é utilizado um rolete de espetos que gira lentamente para que as carnes assem

por igual. Todo o processo de cozimento leva aproximadamente 5 horas.

Essa técnica foi trazida pelos imigrantes italianos que vieram para o Brasil em busca de uma vida melhor.

Eles utilizavam carnes de caça disponíveis na época e movimentavam o rolete manualmente por meio de

uma manivela, pedal ou até roda d’água.

Traduzido ao pé da letra, seu nome significa “levar o assado”, no sentido de girar o assado feito em espetos

rotativos. Não era uma refeição comum, pois eram feitas em ocasiões especiais, quando as famílias se

reuniam para festejar o sucesso nas caçadas. Desde 10 de agosto de 2010, o Menarosto foi instituído como

prato típico oficial de Flores da Cunha através da Lei nº 2.831.

  • Festas Religiosas
  • Festas Típicas
  • Gastronomia
 

Festas de Comunidade

Festas de Comunidade

Festas de Comunidade

Entre em Contato

Envie um e-mail

Acesse nosso site

54 3279-3600

 

Este mapa apresenta uma localização aproximada ou somente a cidade de destino.

Gostou? Compartilhe:



   
  • Atrativos
    Em Vacaria
     

    Morro Agudo.

    Área particular onde fica um dos pontos mais altos do município, com 1.000m acima do nível do mar, com vista em ângulo de 360º onde se aprecia a beleza dos campos e parte da cidade..
     
    Veja mais informações de Morro Agudo.
  • Atrativos
    Em Cambará do Sul
     

    Passeios de Land Rover.

    Curta incríveis passeios em carro Land Rover visitando os principais atrativos de Cambará do Sul e da região, como os cânions Itaimbezinho, Fortaleza e Malacara, e vários outros pontos turísticos de rara beleza, como o Passo da Ilha, o Passo do “S&rdquo.
     
    Veja mais informações de Passeios de Land Rover.
  • Atrativos
    Em Veranópolis
     

    Tedesco Villa D'Asolo.

    Com 28.000m² em meio a uma floresta mista de araucárias, lago, criação ecológica de ovelhas, galinhas de ovos azuis, verdes e vermelhos, (coleta dos mesmos), gansos, peixes, cultivo, colheita e degustação de hortaliças, frutas, cereais e ervas ar.
     
    Veja mais informações de Tedesco Villa D'Asolo.
  • Atrativos
    Em Bom Jesus
     

    Criatório de Mulas.

    Na terra do tropeirismo você pode visitar um dos poucos criatórios de mulas do Estado do Rio Grande do Sul. No município, é possível conhecer este local que contribui para manter viva a tradição tropeira, criando exemplares deste animal símbolo .
     
    Veja mais informações de Criatório de Mulas.
 ,